The “Mother Cabrini Memorial” statue was unveiled on October 12, 2020 and is located behind the Museum of Jewish Heritage, across from the Statue of Liberty in New York Harbor.

The memorial stands on a marble base with Mother Cabrini and two children in paper boats, representing the boats she would have folded as a child, filled with violets and placed in the currents outside her home. According to the artists, the paper boats depicted in the statue serve as a symbol of hope and courage.

The young girl holding a book in the memorial represents a young Mother Cabrini and her desire to educate children. The boy is holding luggage and an ocarina, a musical instrument invented near his hometown in Italy and brought to the United States.


Educating the heart” is the core of Mother Cabrini’s educational method. As has been reiterated several times by the commentaries dedicated to St. Frances Cabrini, the Saint desired that the education she proposed, accomplish the itinerary “from the Heart of Christ to the heart of humanity” and, in this case, to the heart of the child or young person, contributing to the formation of a strong personality.


“The education of the heart must come to persuasion, must involve the young in the process of their growth, to make them participants in their progress without imposing good in a violent way, but making them love it
.”

Cabrinian education of the heart was not, however, directed only at the young.

Today, on the occasion of World Education Day, we also turn our gaze to another statue.


Since September 5, 2019, a life-size sculpture called “Angels Unawares,” part of the Migrants & Refugees Section, has stood in a corner of St. Peter’s Square. The work belongs to Canadian artist and sculptor Timothy Schmalz, and its presence is meant to commemorate the 105th World Migrants and Refugees Day (WDMR) celebrated on September 29, 2019. In one corner under the angel’s wings, Mother Cabrini’s face can be glimpsed.

In his message for WDMR – 2019 Pope Francis said:

In a word, it is not just the cause of migrants that is at stake; it is not just about them, but about all of us, and about the present and future of the human family. Migrants, especially the most vulnerable ones, help us to read the ‘signs of the times’.”

In fact, Mother Cabrini often said that “Education is half holiness.”

“For this reason, her educational criteria were increasingly oriented towards “forming good Christians and good citizens.” Mother Cabrini cared about the fact that education could really be the privileged means to give an ethical and Christian basis to society. This was the strategy she used when she had to face the world of emigrants in a foreign land.

If only today we would think of the Day of Education in a broader sense, we would not only be talking about didactics, about teaching, but education in a broader sense, an evangelizing education as Mother Cabrini intended it and in it a message that is addressed to each one of us.

Education, formation, instruction: these were, according to Mother Cabrini, the fundamental resources to face – at least in part – the great challenges that society always placed before her.

Yesterday as well as today.

Source: « Good Christians» and « Good Citizens». The Work, Educational Mission and Pedagogy of St. Frances Cabrini


La estatua conmemorativa de la Madre Cabrini se inauguró el 12 de octubre de 2020 y está situada detrás del Museo del Patrimonio Judío, frente a la Estatua de la Libertad en el puerto de Nueva York.

El monumento se levanta sobre una base de mármol con la Madre Cabrini y dos niños en barquitos de papel, que representan los barquitos que ella habría doblado de niña, llenados de violetas y colocados en las corrientes fuera de su casa. Según los artistas, los barcos de papel representados en la estatua son un símbolo de esperanza y valor.

La niña que sostiene un libro en el monumento representa a una joven Madre Cabrini y su deseo de educar a los niños. El niño lleva en la mano su equipaje y una ocarina, un instrumento musical inventado cerca de su ciudad natal en Italia y traído a Estados Unidos.

“Educar el corazón” es el núcleo del método educativo de la Madre Cabrini. Como se afirma repetidamente en los comentarios dedicados a Santa Francisca Cabrini, la Santa deseaba que la educación que proponía, realizara el itinerario “del Corazón de Cristo al corazón de la humanidad” y, en este caso, al corazón del niño o del joven, contribuyendo a la formación de una personalidad fuerte.

“La educación del corazón debe llegar al punto de la persuasión, debe involucrar a los jóvenes en el proceso de su crecimiento, para hacerlos partícipes de su progreso sin imponiendo el bien de forma violenta, pero haciendo que les guste”.

Sin embargo, la educación cabriniana del corazón no se dirigía sólo a los jóvenes.

Hoy, con motivo del Día Mundial de la Educación, también dirigimos nuestra mirada a otra estatua.
Desde el 5 de septiembre de 2019, una escultura de tamaño natural llamada “Angels Unawares”, que forma parte de la Sección de Migrantes y Refugiados, se encuentra en una esquina de la Plaza de San Pedro. La obra pertenece al artista y escultor canadiense Timothy Schmalz, y su presencia pretende conmemorar el 105º Día Mundial del Migrante y del Refugiado (DMR) que se celebra el 29 de septiembre de 2019. En un rincón, bajo las alas del ángel, se vislumbra el rostro de la Madre Cabrini.

En su mensaje para la WDMR – 2019 el Papa Francisco dijo:

En una palabra, no está en juego sólo la causa de los migrantes; no se trata sólo de ellos, sino de todos nosotros, y del presente y el futuro de la familia humana. Los migrantes, especialmente los más vulnerables, nos ayudan a leer los “signos de los tiempos“.

De hecho, la Madre Cabrini solía decir que “la educación es la mitad de la santidad“.

“Por eso sus criterios educativos se orientaron cada vez más a “formar buenos cristianos y buenos ciudadanos”. Para la Madre Cabrini era importante que la educación fuera realmente el medio privilegiado para dar una base ética y cristiana a la sociedad.
Esta fue la estrategia que utilizó cuando tuvo que enfrentarse al mundo de los emigrantes en una tierra extranjera.”

Si hoy pudiéramos pensar en el Día de la Educación en un sentido más amplio, no sólo hablaríamos de didáctica, de enseñanza, sino de educación en un sentido más amplio, de una educación evangelizadora como la pretendía la Madre Cabrini y en ella un mensaje que se dirige a cada uno de nosotros.

“La educación, la formación, la instrucción: estos eran, según la Madre Cabrini, los recursos fundamentales para afrontar -al menos en parte- los grandes retos que la sociedad le planteaba siempre”. Ayer como hoy.

Fuente: «Buenos cristianos» y «buenos ciudadanos». La obra, la misión educativa y la pedagogía de Santa Francisca Cabrini


La statua “Madre Cabrini Memorial” è stata inaugurata il 12 ottobre del 2020 e si trova dietro il Museum of Jewish Heritage, di fronte alla Statua della Libertà nel porto di New York.

Il memoriale si trova su una base di marmo con Madre Cabrini e due bambini su barchette di carta, che rappresentano le barche che avrebbe piegato da bambina, riempito di violette e posto nelle correnti fuori dalla sua casa. Secondo gli artisti, le barchette di carta raffigurate nella statua servono come simbolo di speranza e coraggio.

La fanciulla che tiene un libro nel memoriale rappresenta una giovane Madre Cabrini e il suo desiderio di educare i bambini. Il ragazzo tiene in mano bagagli e un’ocarina, uno strumento musicale inventato vicino alla sua città natale in Italia e portato negli Stati Uniti.

“Educare il cuore” è il nucleo del metodo educativo di Madre Cabrini. Come più volte è stato ribadito dai commenti dedicati a Santa Francesca Cabrini, la Santa desiderava che l’educazione da lei proposta, compiesse l’itinerario “dal Cuore di Cristo al cuore dell’umanità” e, in questo caso, al cuore del bambino o del giovane, contribuendo a formare una personalità forte.”


“L’educazione del cuore deve arrivare alla persuasione, deve coinvolgere i giovani nel processo della loro crescita, a farli partecipi del loro progresso senza imporre in modo violento il bene, ma facendolo amare”.


L’educazione cabriniana, del cuore non era però rivolta solo ai più giovani.

Oggi, in occasione della Giornata Mondiale per l’educazione, volgiamo lo sguardo anche ad un’altra statua.
Dal 5 settembre 2019 in un angolo di Piazza San Pietro si trova una scultura a grandezza naturale chiamata “Angels Unawares”, parte della Sezione Migranti & Rifugiati. L’opera appartiene all’artista e scultore canadese Timothy Schmalz, e la sua presenza vuole commemorare la 105ª Giornata mondiale dei migranti e dei rifugiati (WDMR) celebrata il 29 settembre 2019. In un angolo sotto le ali dell’angelo si intravede il volto di Madre Cabrini.

Nel messaggio per la GMG – 2019 Papa Francesco disse:

In una parola, non è in gioco solo la causa dei migranti; non riguarda solo loro, ma tutti noi, e il presente e il futuro della famiglia umana. I migranti, specialmente quelli più vulnerabili, ci aiutano a leggere i ‘segni dei tempi’“.

Madre Cabrini diceva spesso infatti che “L’educazione è mezza santità“.

“Per questo i suoi criteri educativi erano sempre più orientati a “formare buoni cristiani e buoni cittadini”. Stava a cuore a Madre Cabrini il fatto che l’educazione potesse veramente essere il mezzo privilegiato per dare una base etica e cristiana alla società e questa fu la strategia da lei usata quando si trovò ad affrontare il mondo degli emigranti in terra straniera.”

Ecco se solo oggi pensassimo alla Giornata dell’educazione in senso più ampio, non parliamo solo di didattica, di insegnamento ma educazione in senso più ampio, una educazione evangelizzatrice come la intendeva Madre Cabrini ed in essa un messaggio che è rivolto a ciascuno di noi.

Educazione, formazione, istruzione: queste erano secondo Madre Cabrini, le risorse fondamentali per affrontare – almeno in parte – le grandi sfide che la società le poneva sempre dinanzi.

Ieri come oggi.

Fonte: «Buoni cristiani» e « Buoni cittadini». L’opera, la missione educativa e la pedagogia di S. Francesca Cabrini


A estátua da Madre Cabrini Memorial foi revelada em 12 de outubro de 2020 e está localizada atrás do Museu do Patrimônio Judaico, em frente à Estátua da Liberdade, no porto de Nova Iorque.

O memorial fica em uma base de mármore com Madre Cabrini e duas crianças em barcos de papel, representando os barcos que ela teria dobrado quando criança, preenchidos com violetas e colocados nas correntes fora de sua casa. Segundo os artistas, os barcos de papel retratados na estátua servem como símbolo de esperança e coragem.

A menina que segura um livro no memorial representa uma jovem Madre Cabrini e seu desejo de educar as crianças. O menino está segurando bagagem e uma ocarina, um instrumento musical inventado perto de sua cidade natal, na Itália, e trazido para os Estados Unidos.

“Educar o coração” é o núcleo do método educacional da Madre Cabrini. Como repetidamente declarado nos comentários dedicados a Santa Francisca Cabrini, a Santa desejou que a educação que ela propôs, realizasse o itinerário “do Coração de Cristo ao coração da humanidade” e, neste caso, ao coração da criança ou do jovem, contribuindo para a formação de uma personalidade forte.”

“A educação do coração deve chegar ao ponto de persuasão, deve envolver os jovens no processo de seu crescimento, para fazê-los participar em seu progresso sem impondo o bem de uma forma violenta, mas fazendo-os amar”.


A educação cabriniana do coração, no entanto, não se dirigia apenas aos jovens.

Hoje, por ocasião do Dia Mundial da Educação, também voltamos nosso olhar para outra estátua.
Desde 5 de setembro de 2019, uma escultura em tamanho real chamada “Angels Unawares”, parte da Seção Migrants & Refugees, está em um canto da Praça de São Pedro. A obra pertence ao artista e escultor canadense Timothy Schmalz, e sua presença visa comemorar o 105º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado (WDMR), celebrado em 29 de setembro de 2019. Em um canto sob as asas do anjo, o rosto da Madre Cabrini pode ser vislumbrado.

Em sua mensagem para WDMR – 2019, o Papa Francisco disse: “Em uma palavra, não é apenas a causa dos migrantes que está em jogo; não se trata apenas deles, mas de todos nós, e do presente e do futuro da família humana. Os migrantes, especialmente os mais vulneráveis, nos ajudam a ler os ‘sinais dos tempos'”.

Na verdade, Madre Cabrini dizia com freqüência que “Educação é meia santidade“.

“É por isso que seus critérios educacionais foram cada vez mais orientados para “formar bons cristãos e bons cidadãos”. A Madre Cabrini se preocupou com o fato de que a educação poderia realmente ser o meio privilegiado para dar uma base ética e cristã à sociedade. Esta foi a estratégia que ela utilizou quando teve que enfrentar o mundo dos emigrantes em uma terra estrangeira.”

Se apenas hoje pudéssemos pensar no Dia da Educação num sentido mais amplo, não estaríamos falando apenas de didática, de ensino, mas de educação num sentido mais amplo, uma educação evangelizadora como Madre Cabrini a pretendia e nela uma mensagem que é dirigida a cada um de nós.

Educação, formação, instrução: estes foram, segundo Madre Cabrini, os recursos fundamentais para enfrentar – pelo menos em parte – os grandes desafios que a sociedade estava sempre colocando diante dela. Ontem como hoje.

Fonte: «Bons Cristãos » e «Bons Cidadãos ». O trabalho, a missão educativa e a pedagogia de Santa Francisca Cabrini

Leave a Reply

Your email address will not be published.