Day 2 – 28.6.22

Today, we had the pleasure of Fr. Mariano Sedano Sierra, a Claretian Missionary, who gave us spiritual input, as he delved into the call of mission. He encouraged us to consider the COVID pandemic as possibly a moment of Grace for us. He invited us to look at things with both eyes open; instead of being superficial to go to greater depth. He cited the example of Mother Cabrini, who held such peacefulness in her heart that she could do so much. We are called to immerse ourselves in God’s love, as she did.

Only love can heal our loneliness, and he spoke of ‘Agape’, selfless love; love for the sake of love. Fr. Mariano suggested that we change the words of St. Paul’s hymn from ‘Love is patient, Love is kind..’ to ‘Jesus is patient, Jesus is kind…’ to see Jesus as He is for us. He then went further and encouraged us to substitute our ‘own name is patient, own name is kind…’ to help us realize our own call to be like Jesus. He emphasized Mother Cabrini’s own words that we must work with love, to go out to others.

Mission requires passion and action, to free ourselves from what holds us back, to liberate ourselves. The temptation can be to give up. Mother Cabrini understood ‘flights’ to mean entering into our depths, going out of ourselves, moving from passive to active attitudes, to live God’s passion, to fly high! 

The dynamics of mission call us beyond superficiality, and to ask what does mission ask of me? Die to self! Let God be God! To be real missionaries we need to empty ourselves, in order to let God fill us with grace.

In the second part of our day, we received the report from Sr. Barbara Staley, our General Superior, on the work, development, and state of the institute over these past 8 years. We then had small group discussion and sharing on Sr. Barbara’s report.


Día 2 28.6.22

Hoy hemos tenido el placer de escuchar al P. Mariano Sedano Sierra, misionero claretiano, que nos dio un aporte espiritual, mientras profundizaba en la llamada de la misión. Nos animó a considerar la pandemia de COVID como posiblemente un momento de Gracia para nosotros;  a mirar las cosas con los dos ojos abiertos; para ir de lo superficial a una mayor profundidad, y ver el ejemplo de la Madre Cabrini, que tenía tal tranquilidad en su corazón que podía hacer  tanto. Estamos llamados a sumergirnos en el amor de Dios, como lo hizo ella. 

Sólo el amor puede sanar nuestra soledad, y habló de ‘Ágape’, amor desinteresado; amor por amor. El P. Mariano sugirió que cambiáramos las palabras del himno de San Pablo de ‘El amor es paciente, el amor es bondadoso..’ a ‘Jesús es paciente, Jesús es bondadoso…’ para ver a Jesús como lo es para nosotros. Luego fue más allá y nos animó a sustituirlo por “nuestro propio nombre es paciente, nuestro propio nombre es bondadoso…” para ayudarnos a realizar nuestra propia llamada a ser como Jesús. Hizo hincapié en las propias palabras de la Madre Cabrini de que debemos trabajar con amor, para ir hacia los demás.

La misión requiere pasión y acción; para liberarnos de lo que nos detiene, para liberarnos. La tentación puede ser rendirse. La Madre Cabrini entendía los “vuelos” como una entrada en las profundidades, una salida de uno mismo, un paso de las actitudes pasivas a las activas, para vivir la pasión de Dios, ¡para volar alto! 

La dinámica de  la Misión nos llama a no ser superficiales, sino a preguntarnos ¿qué me pide la misión? ¡Morir a mí mismo! ¡Dejar que Dios sea Dios! Para ser verdaderos misioneros , no es solo de lo que nos deshacemos, sino de lo que nos llenamos, ¡vaciarnos y llenarnos de las cosas de Dios!

En la segunda parte de nuestro día, recibimos el informe de Hna. Barbara Staley, nuestra Superiora General, sobre el trabajo, el desarrollo y el estado del Instituto en estos últimos 8 años. Luego tuvimos discusiones en grupos pequeños y compartimos el informe de Hna. Barbara.


Giorno 2 – 28.6.22

Oggi abbiamo avuto il piacere di avere con noi P. Mariano Sedano Sierra, missionario Clarettiano, che ci ha dato un input spirituale, approfondendo la chiamata della missione. Ci ha incoraggiato a considerare la pandemia COVID come un momento di grazia per noi, a guardare le cose con gli occhi aperti, passare dal superficiale alla profondità, e vedere l’esempio di Madre Cabrini, che aveva nel cuore una tale tranquillità da poter fare tanto. Siamo chiamati ad immergerci nell’amore di Dio, come ha fatto Lei. 

Solo l’amore può guarire la nostra solitudine. Ha parlato di ‘Agape’, amore disinteressato, amore per amore dell’amore. P. Mariano ha suggerito di cambiare le parole dell’inno di San Paolo da “La carità è paziente, la carità è benigna…” a “Gesù è paziente, Gesù è benigna…” per vedere Gesù come è per noi. Ha poi proseguito incoraggiandoci a sostituire il nostro “Il proprio nome è paziente, il proprio nome è benigna…” per aiutarci a realizzare la nostra chiamata ad essere come Gesù. Ha sottolineato le parole di Madre Cabrini, secondo cui dobbiamo lavorare con amore, per andare verso gli altri.

Madre Cabrini ha inteso i “voli” come un entrare nel profondo, un uscire da se stessi, un passare da atteggiamenti passivi ad atteggiamenti attivi, per vivere la passione di Dio, per volare alto! 

Le dinamiche della  missione ci chiamano a non essere superficiali, ma a chiederci: che cosa mi chiede la missione? Morire a me stesso! Lasciare che Dio sia Dio! Essere veri missionari non è solo ciò di cui ci liberiamo, ma ciò di cui ci riempiamo, è svuotare noi stessi ed essere riempiti delle grazie di Dio!

Nella seconda parte della nostra giornata, abbiamo ascoltato la relazione di Sr. Barbara Staley, la nostra Superiora Generale, sul lavoro, lo sviluppo e lo stato dell’Istituto in questi ultimi 8 anni. Abbiamo poi avuto una discussione in piccoli gruppi e sulla condivisione del rapporto di Sr. Barbara.


Dia 2 – 28.6.22

Hoje, tivemos o prazer do Padre Mariano Sedano Sierra, um missionário Clareiano, que nos deu uma contribuição espiritual, ao mergulhar no chamado da missão. Ele nos encorajou a considerar a pandemia COVID como possivelmente um momento de Graça para nós;  to olhar para as coisas com os dois olhos abertos; to ir do superficial para maior profundidade, e ver o exemplo de Madre Cabrini, que tinha tanta tranquilidade em seu coração que ela poderia fazer  tanto. Somos chamados a mergulhar no amor de Deus, como ela fez. 

Pe. Mariano sugeriu que mudássemos as palavras do hino de São Paulo de “O amor é paciente, o amor é bondoso…” para “Jesus é paciente, Jesus é bondoso…” para ver Jesus como Ele é para nós. Ele então foi mais longe e nos encorajou a substituir nosso ‘o próprio nome é paciente, o próprio nome é bondoso…’ para nos ajudar a realizar nosso próprio chamado para sermos como Jesus. Ele enfatizou as próprias palavras de Madre Cabrini de que devemos trabalhar com amor, para irmos ao encontro dos outros.

Missão requer paixão e ação; para nos libertarmos do que nos retém, para nos libertarmos. A tentação pode ser desistir. Madre Cabrini entendia “vôos” como uma ida às profundezas, uma saída de si mesmo, uma mudança de atitudes passivas para a ativa, para viver a paixão de Deus, para voar alto! 

A dinâmica da  Missão nos chama para não sermos superficiais, mas para perguntar o que a missão me pede? Morrer para mim mesmo! Deixar Deus ser Deus! Ser missionários de verdade – não é apenas do que nos livramos, mas com o que nos enchemos – para nos esvaziarmos e sermos preenchidos com as coisas de Deus!

Na segunda parte do nosso dia, recebemos o relatório da Ir. Bárbara Staley, MSC Superior Geral, sobre o trabalho, desenvolvimento e estado do instituto nos últimos 8 anos. Tivemos então uma pequena discussão em grupo e compartilhamos sobre o relatório da Ir. Barbara.

Leave a Reply

Your email address will not be published.