Joint effort

Saint Mary Magdalen Community in Uganda is risen!

This was the verbal expression of the Community Coordinator after receiving the news of the financial support to complete the construction of the Chapel.

Among the six communities in the Pagrinya Settlement, this is the poorest  and the only one that did not have a space to celebrate and meet. Everything is done in the shade of a big tree, between the rocks.

The Community is made up of refugees from 4 different tribes and each tribe has its own language, which makes participation very difficult. The celebrations and training are held in English and translated into different languages, which makes it a little tiring.

With the donation received from the Cabrini Mission Foundation, we decided to propose financial aid for this community, as it is the poorest and responds to an urgent need, as stated in the Chapter Conclusions.

We met with the Coordination and said that we could collaborate with the coverage of the Chapel. The community was motivated and organized to build the walls. Women carry water and cook, teenagers make bricks and clay, children carry bricks and clay close to the building, and young people and adults build the walls.

We were thrilled when we received a message saying that the walls were already being raised. On the morning of this last Tuesday, we participated with them in the second moment of construction and we were very grateful to God for the motivation, work and joy of each one.

The community just needed a financial incentive for coverage and, soon, we will have space to celebrate and develop projects for human and Christian promotion.

Thanks be to God Who makes new everything, every day!

Sr. Albertina Goulart, msc


Esfuerzo conjunto

¡La Comunidad Santa María Magdalena en Uganda se ha levantado!

Esta fue la expresión verbal del Coordinador de la Comunidad tras recibir la noticia del apoyo financiero para completar la construcción de la Capilla.

Entre las seis comunidades del asentamiento de Pagrinya, ésta es la más pobre y la única que no tenía un espacio para celebrar y reunirse. Todo se hace a la sombra de un gran árbol, entre las rocas.

La Comunidad está formada por refugiados de 4 tribus diferentes y cada tribu tiene su propia lengua, lo que hace muy difícil la participación. Las celebraciones y la formación se realizan en inglés y se traducen a diferentes idiomas, lo que hace que sea un poco agotador.

Con el donativo recibido de la Fundación Misión Cabrini, decidimos proponer una ayuda económica para esta comunidad, ya que es la más pobre y responde a una necesidad urgente, como se recoge en las Conclusiones del Capítulo.

Nos reunimos con la Coordinación y dijimos que podíamos colaborar con la cobertura de la Capilla. La comunidad se motivó y organizó para construir los muros. Las mujeres acarrean agua y cocinan, los adolescentes fabrican ladrillos y arcilla, los niños llevan ladrillos y arcilla cerca del edificio, y los jóvenes y adultos construyen los muros.

Nos emocionamos cuando recibimos un mensaje diciendo que los muros ya se estaban levantando. En la mañana de este último martes, participamos con ellos en el segundo momento de la construcción y nos sentimos muy agradecidos a Dios por la motivación, el trabajo y la alegría de cada uno.

La comunidad sólo necesitaba un incentivo financiero para la cobertura y, pronto, tendremos espacio para celebrar y desarrollar proyectos de promoción humana y cristiana.

¡Gracias a Dios que hace todo nuevo, cada día!

Hna. Albertina Goulart, msc


Sforzo congiunto

La comunità di Santa Maria Maddalena in Uganda è risorta!

Questa è stata l’espressione verbale del coordinatore della comunità dopo aver ricevuto la notizia del sostegno finanziario per completare la costruzione della cappella.

Tra le sei comunità dell’insediamento di Pagrinya, questa è la più povera e l’unica che non aveva uno spazio per celebrare e incontrarsi. Tutto viene fatto all’ombra di un grande albero, tra le rocce.

La comunità è composta da rifugiati di 4 diverse tribù e ogni tribù ha la sua lingua, il che rende la partecipazione molto difficile. Le celebrazioni e la formazione sono tenute in inglese e tradotte in diverse lingue, il che rende il tutto un po’ faticoso.

Con la donazione ricevuta dalla Fondazione Missione Cabrini, abbiamo deciso di proporre un aiuto finanziario per questa comunità, dato che è la più povera e risponde ad un bisogno urgente, come indicato nelle conclusioni del capitolo.

Ci siamo incontrati con il Coordinamento e abbiamo detto che avremmo potuto collaborare con la copertura della Cappella. La comunità era motivata e organizzata per costruire i muri. Le donne portano l’acqua e cucinano, gli adolescenti fanno mattoni e argilla, i bambini portano mattoni e argilla vicino all’edificio, e i giovani e gli adulti costruiscono i muri.

Eravamo entusiasti quando abbiamo ricevuto un messaggio che diceva che i muri erano già stati alzati. La mattina di quest’ultimo martedì, abbiamo partecipato con loro al secondo momento della costruzione ed eravamo molto grati a Dio per la motivazione, il lavoro e la gioia di ognuno.

La comunità aveva solo bisogno di un incentivo economico per la copertura e, presto, avremo spazio per festeggiare e sviluppare progetti di promozione umana e cristiana.

Grazie a Dio che fa tutto nuovo, ogni giorno!

Sr. Albertina Goulart, msc


 Mutirão

A Comunidade Santa Maria Madalena, Uganda, ressuscitou!

Essa foi a expressão verbal do Coordenador da Comunidade após receber a notícia do apoio financeiro para completar a construção da Capela.

Entre as seis comunidades do Assentamento da Pagrinya, esta é a mais pobre e a única que não tinha um espaço para celebrar e se reunir. Tudo é realizado à sombra de uma grande árvore, entre as pedras.

A Comunidade é formada por refugiados de pertencentes a 4 tribos diferentes e cada tribo com sua própria língua, o que dificulta muito a participação. As celebrações e formações são realizadas em Inglês e traduzida nas diversas línguas, o que torna um pouco cansativo.

Com a doação recebida da Cabrini Mission Foundation decidimos propor uma ajuda financeira para esta comunidade, por ser a mais pobre e responder a uma necessidade urgente, como afirmam as Conclusões Capitulares. Dissemos que nossa colaboração seria só para a cobertura.

Reunimo-nos com a Coordenação e dissemos que poderíamos colaborar com a cobertura da Capela. A comunidade se motivou e se organizou  para a construção das paredes. As mulheres carregam água e cozinham, os adolescentes fazem os tijolos e o barro, as crianças carregam os tijolos e o barro para perto da construção e os jovens e adultos constroem as paredes.

Ficamos emocionadas quando recebemos uma mensagem dizendo que as paredes já estavam sendo levantadas. Na manhã dessa última terça-feira, participamos com eles do segundo momento da construção e ficamos muito agradecidas a Deus pela motivação, doação e alegria de cada um.

A comunidade só precisava de um incentivo financeiro para a cobertura e, em breve, teremos espaço para Celebrar e desenvolver projetos de promoção humana e cristã.

Ir. Albertina Goulart, msc

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *